Primeiras conquistas do ano

O ano de 2019 começou com grandes conquistas no Parasitas conectados. Os alunos orientados pelos pesquisadores do nosso grupo tiveram destaque e deram mais um importante passo em suas carreiras.


Doutorado


Um dos destaques nesse semestre se deve a farmacêutica Juliana Nunes Rosón que ingressou no doutorado, sob orientação da pesquisadora Julia Cunha, no programa de pós-graduação do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da Escola Paulista de Medicina.

O Programa de Pós-Graduação em Microbiologia e Imunologia teve início em 1971. O Programa contribuiu, em seus 45 anos de existência, para a formação de pesquisadores de prestígio nas áreas de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia e recebeu, ininterruptamente, conceito máximo de excelência (nota 7) pelas Comissões Examinadoras da CAPES.

O ingresso de Juliana Rosón ao doutorado é uma conquista muito importante para o grupo, uma vez que o desenvolvimento da tese irá gerar importantes insights no nosso campo de pesquisa, e irá contribuir para o crescimento profissional de Juliana, que já faz parte do nosso grupo desde 2016 quando ingressou no mestrado.


Doutorado-sanduíche


O aluno de doutorado Rodolpho Ornitz Oliveira Souza do Laboratório de Bioquímica de Tripanossomatídeos - LaBTryps, orientado por Ariel M. Silber, retornou esse mês do período de doutorado-sanduíche que passou sob orientação do pesquisador Frédéric Bringaud da Université de Bordeaux. O Doutorado sanduíche é um programa de bolsa de estudo no qual o estudante faz parte do seu doutorado em uma instituição internacional. Esse tipo de intercâmbio pode variar de poucos meses a um ano.

Ainda neste ano, Rodolpho Ornitz irá defender a sua tese desenvolvida nos últimos anos sob a orientação de Ariel Silber. A defesa da tese é o passo final para a obtenção do título de doutor, e a formação de mais um doutor no campo da nossa pesquisa será uma enorme conquista para o nosso grupo.


Teses defendidas

Durante a formação de um cientista, são realizadas etapas acadêmicas muito importantes, como a obtenção do título de doutor.

Nesse primeiro semestre de 2019, damos destaque aos alunos Raphael Pavani e Paula Marin, ambos alunos da pesquisadora Carolina Elias, que defenderam a tese no Instituto de Ciências Biomédicas junto ao programa de pós-graduação em biologia da relação patógeno-hospedeiro do departamento de parasitologia da USP.

Raphael Pavani iniciou seus estudos junto ao laboratório especial de ciclo celular (LECC) sob a orientação de Carolina Elias no ano de 2012, ano em que deu início ao seu mestrado. Desde então, Raphael Pavani publicou diversos artigos na área e contribui para o crescimento do laboratório. Além de ter tido o seu trabalho reconhecido em premiações de grandes eventos científicos como no XIII Congresso da Mutagen, XXXI Annual Meeting of the Society of Protozoology, Prêmio Jovem Cientista - Modalidade Mestrado do Instituto Butantan e Mutagenesis Award - NIH, National Institutes of Health. Além disso, durante o período do doutorado, em 2017, Raphael Pavani se juntou ao grupo do Dr. Mark Field da University of Dundee para realizar técnicas importantes para o desenvolvimento do seu trabalho e que contribuiu imensamente com o nosso conhecimento sobre como o Trypanosoma cruzi mantém o seu conteúdo genômico.. Com este conjunto de realizações, Raphael tornou-se um destaque na área e seu trabalho foi reconhecido com a posição de pós-doc obtida junto ao Laboratory of Genome Integrity , sob supervisão do pesquisador Andre Nussenzweig, no renomado National Cancer Institute (Maryland, United States).


Raphael Pavani junto aos pesquisadores da comissão julgadora. Na foto, da esquerda para a direita: Carlos Renato Machado, Nadja Christina de Sousa Pinto, Raphael Pavani, Maria Carolina Elias e Lucile Maria Floeter Winter.

Paula Marin iniciou seus estudos junto ao LECC no ano de 2014 sob orientação de Carolina Elias. Durante o desenvolvimento de sua tese, Paula alcançou o reconhecimento de seu trabalho em eventos científicos. Além disso, parte do trabalho que Paula desenvolveu neste período pode ser consultado em um artigo publicado pela revista científica Scientific Reports. A Paula deixa o laboratório para voltar a sua terra Natal, Mendelin – Colômbia, onde uma posição na Universidad EIA a espera.


Paula Marin junto aos pesquisadores da comissão julgadora. Na foto, da esquerda para a direita: Silvia Uliana, Maria Carolina Elias, Paula Marin, Sergio Shenckman e Norbel Galanti.


Nós do Parasitas conectados parabenizamos os nossos alunos pelas conquistas alcançadas.

47 visualizações
Siga nossas redes Socias

© 2018 by ParasitasConectados

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco